edição nº 11 ano 2018
outros títulos do autor
Novos tempos
Lei das Corretas Relações Humanas
Princípio da Boa Vontade
Princípio da Unanimidade
Lei da Aproximação Espiritual
Princípio da Divindade Essencial
Paul Cézanne
     
 
veja também
Umbigo: sinônimo de vida
Paul Cézanne
Máxima solariana nº9
Novo carma
Lei do Esforço Grupal

Dando prosseguimento às leis e aos princípios que servem de base à vida atual, vamos conhecer agora a Lei do Esforço Grupal. Lembrando que um princípio é uma motivação, uma fonte de energia, uma afirmação que visa a uma melhora geral da humanidade, enquanto uma lei é a formulação em palavras do que está implícito num princípio, possibilitando que ele se manifeste na prática.

LEIS                                                         PRINCÍPIOS

Corretas Relações Humanas                      Boa Vontade

Esforço Grupal                                          Unanimidade

Aproximação Espiritual                                Divindade Essencial


A Lei do Esforço Grupal nos direciona para a conscientização de que, além de indivíduos, somos integrantes de diversos grupos: da família, do trabalho, da comunidade, da nação e da humanidade.

É uma lei que estimula as pessoas a trabalharem em cooperação e harmonia, visando a uma meta comum, mesmo que essa não satisfaça os desejos individuais.

A aplicação dessa lei, portanto, favorece a organização e o desenvolvimento da vida coletiva, o que é fundamental para o equilíbrio dos relacionamentos neste mundo globalizado.

Grupos são associações de indivíduos unidos por uma ideia, um propósito e um serviço comuns. Isso exige de seus membros um alto grau de sintonia, integração e dedicação mútua a um único objetivo, algo que só possa ser atingido por um consenso que nasce internamente e se manifesta externamente.
 
Um conjunto de indivíduos é por si só uma entidade viva, composta da soma das unidades, que resulta numa força manifesta. Como o ser humano, a entidade grupal é estruturada de diferentes partes: (1) um espírito, que traz o aspecto integrador; (2) uma alma, que resulta das combinações dos aspectos mentais e emocionais dos membros; e uma manifestação física, que se expressa na organização e nas atividades do grupo. A reunião dessas partes forma a personalidade do coletivo.

A integração interna e espontânea dos grupos surge basicamente em virtude da presença de um propósito único, que estabelece uma meta a ser atingida. Os grupos não são formados para beneficiar seus membros individualmente, mas para atingir um objetivo maior, algo inalcançável por ações individuais.

Atualmente observamos a vigorosa força de novos coletivos, formados principalmente em redes sociais, sendo capazes de grandes transformações, como a derrocada de governos autoritários.

O objetivo básico da Lei do Esforço Grupal é a elevação do todo, pois, em certo plano de nossa existência, o que é buscado de forma individual pode ser atingido mais rapidamente pela combinação de diversas unidades.

A individualidade, embora necessária para a formação de grupos, deve se integrar plenamente ao propósito comum, de forma que a expressão egoísta seja impossibilitada. Assim, dentro do coletivo, as preferências das pessoas não devem interferir no processo conjunto, pois desvirtuam o objetivo e a vida gerais. O amor, a tolerância, a compreensão e a disposição para servir são qualidades que precisam ser desenvolvidas, cultivadas e postas em prática, enquanto a critica, a autoafirmação, a indiferença e outras tendências separatistas devem ser eliminadas.

O relacionamento dentro de um grupo exige, portanto, habilidade e esforço. Quando, porém, esse conjunto obtém unidade e atividade harmônica, ele pode ajudar a manter e a intensificar a força de cada um dos seus membros. Assim, existe um estímulo recíproco: tanto o grupo quanto o indivíduo são beneficiados.

Essa lei indica que a evolução individual depende também da evolução do coletivo e, em última análise, de toda a humanidade.

No mês que vem, vamos tratar do Princípio da Unanimidade.

 

Texto baseado em Meditação e Síntese – Parassíntese, Visão e Missão (São Paulo, Ed. Totalidade, SP, 2004). Organizado pelo CEPAZ, o livro reúne textos de Roberto Assagioli, fundador da Psicossíntese.
 

Laura Paladino de Lima

A solariana Laura Paladino de Lima, integrante do Grupo Liberdade, é formada em História e Administração pela PUC-SP. Dedica-se ao estudo da História da Arte em instituições como PUC-SP, MASP e ICIB (Instituto Cultural Ítalo Brasileiro). Autora do livro Gigi e as Se(r)mentes (São Paulo, Totalidade, 2001, 2a ed.).
 

 
 
Imprimir