edição nº 7 ano 2018
outros títulos do autor
Projeto Independência Empresarial
Missão Pessoal
Inteligência Espiritual
Alma Gêmea
Teoria da Abrangência
Solaris, uma escola iniciática
Empresa, uma escola iniciática?
Alquimia, a arte de Hermes
Alquimia Empresarial
Grupo de Saúde
     
 
veja também
Feng Shui: dicas práticas
Por que usamos incenso?
Máxima solariana nº18
Prontidão para mudanças
Já passou dos 50? Que bom!

Qual é a função do ser humano após os 50 anos? Você já se fez essa pergunta?


Parece que, a partir desta idade, surgem incertezas, medos e angústias. A pessoa já viveu por décadas e não sabe como prosseguir...


Para responder a essas indagações, resolvi, em 2009, criar o curso “Depois dos 50”, que, a partir de 2016, ganhou nova roupagem. Afinal, por que me interessei pelo tema? Em primeiro lugar, por motivo pessoal, pois pertenço a essa categoria. Mas também é um assunto que me possibilitou aprofundar certas questões ligadas à nossa existência.


De forma geral, após os 50 anos, o ser humano começa a passar por três grandes mudanças que se acentuam com o tempo.


1. Inicia-se, de forma mais visível, o envelhecimento, com consequências bastante previsíveis. Perda de agilidade, de beleza, de condições físicas gerais, o que denota que o corpo não é mais o mesmo; 


2. Há uma redução sistemática das atividades habituais. As rotinas antigas não acompanham as novas condições existenciais, mas a introdução de quaisquer mudanças se esbarra na falta de energia para isso;


3. Surge a sensação de ser inútil, pois parece que os jovens ocupam todos os espaços, onde não há lugar para pessoas mais velhas. 


Resolvi estudar o assunto com afinco e aplicando os preceitos da Teoria da Abrangência. Assim surgiu o curso “Depois dos 50”, composto de 8 revelações, que mostram como acessar novas fontes de energia, sem precisar de nenhuma ajuda médica para isso. Por meio deste conhecimento, novas possibilidades de existência não se tornam apenas possíveis, mas perfeitamente viáveis.


A partir dos 50, abre-se a possibilidade de se delinear uma convivência muito interessante consigo próprio. Certamente as obrigações, a competição profissional, o crescimento na carreira não definem a opção existencial mais desejável para se alcançar a felicidade nesta faixa etária. A convivência consigo próprio permite descobrir um tesouro muito importante, uma espécie de luz interior.


Trata-se de um período de vida relacionado com a individualidade, que não tem idade e, em função disso, a pessoa não quer mais viver de acordo com as regras estabelecidas, mas conforme um novo objetivo, que não é consumista nem passageiro. 


Abre-se o mundo da criatividade. A plenitude e a riqueza das experiências vividas, enriquecidas com força interior, abrem as portas para se conseguir uma colocação no mercado. A competição é substituída pela competência.  


Com isso, novidades são permitidas, estão ao alcance de quem as procurar. As mudanças deixam de atormentar a pessoa, pois ela mesma toma a decisão de mudar, muitas vezes motivada por alguma notícia assustadora de fora.


E esta decisão é respeitada. Ninguém pode proibi-la de fazer essa busca. O único obstáculo é a inércia, a própria falta de vitalidade. 


Esta idade define um momento de grandes transformações e realizações. Uma época em que surgem sentimentos muito profundos, não suscetíveis a interferências externas. 


O curso “Depois dos 50” ajuda a pessoa a alcançar novas fontes de vitalidade, para que ela esteja pronta para vivenciar experiências inéditas. A pessoa passa por um processo de rejuvenescimento, que acontece de dentro para fora. 


Velhos relacionamentos, até familiares, baseados no passado, muitas vezes deixam de fazer sentido no momento presente. O antigo cotidiano, que era tão importante, perde seu espaço. A pessoa começa a viver de acordo com algo que é para si mesma importante, rejeitando tabus e conceitos que a definiam antes.

 

Com mais de 50, o indivíduo é considerado bem-sucedido não pelo cargo que ocupa ou pelo salário que recebe, mas por sua jovialidade, brilho e clareza na condução de sua vida. Exemplos pessoais repercutem e norteiam os outros, dando esperança. No entanto, sem o acesso a essa nova fonte de vitalidade, o indivíduo torna-se introspectivo e fechado. 


Nesta idade, é importante não obedecer a imposições, não se curvar diante de limites estabelecidos, de exigências da sociedade, inclusive quanto ao tempo. É também um período de liberdade do controle institucional. Fazer o que se ama é permitido, e na companhia de pessoas que o agradam. A diversão, que, à primeira vista, parece tão distante de uma idade comumente relacionada apenas com perdas, é na verdade permitida e, mais do que isso, necessária para o bem-estar da pessoa.   


A abertura para um novo estilo de vida, novas amizades e descobertas estão ao nosso dispor. Porém, para isso, é importante perder o medo de estar consigo próprio, sem maquiagem, e perceber como você é importante. O desapego de velhos valores e conquistas, que já não têm sentido nesta nova etapa, não deve assustar, mas encorajar.


Mesmo quem continua em plena atividade profissional, não deve competir, mas estar ciente de que sua presença é extremamente relevante para o local de trabalho. Ela é capaz de unir o grupo e fazer do ambiente um lugar mais saudável e feliz. 


Mesmo se você passar por um período de grandes perdas, não tenha medo. Comece a dedicar algum tempo a descobertas pessoais usando uma nova fonte de vitalidade, que é possível encontrar. Basta começar a perguntar, buscar informações e estar aberta para o novo. 


Recomendo, e muito, a todos desta idade que façam o curso “Depois dos 50” e inaugurem uma nova etapa de vida com plena certeza de sua caminhada.


 
 
 
O curso "Depois dos 50" será oferecido no Solaris a partir do dia 7 de abril, às 14h.
 
 
 
Sofia Mountian

Sofia Mountian dispensa maiores apresentações – criadora da Teoria da Abrangência, fundadora do Instituto Solaris, presidente da ONG Solaris e uma das sócias da Plênita Consultoria. Sofia, no intuito de esclarecer dúvidas sobre a Teoria da Abrangência, o crescimento do ser humano e assuntos de interesse dos solarianos, escreve mensalmente na Revista Solaris.

 
 
Imprimir