edição nº 10 ano 2018
outros títulos do autor
     
 
veja também
Milagroso mindinho
O desafio comum do resgate ambiental
Empatia
Máxima solariana nº19
A vida sem açúcar

Acordei um dia e me deparei com uma foto de infância em que segurava um saco de balas e doces. Eu era única das crianças naquela foto com tantas guloseimas açucaradas. Essa imagem não saiu mais da minha cabeça e me fez refletir sobre o meu consumo desenfreado de doces, chocolate e afins. Foi aí que percebi a razão do meu sobrepeso.


Na esperança de mudar, fiz um pacto comigo mesma – ficar um ano sem açúcar. No dia 30 de novembro de 2017, comecei a minha caminhada de uma rotina sem açúcar. A primeira providência foi consultar uma nutricionista. Com um programa alimentar em mãos, o passo seguinte foi começar a me exercitar para ter uma adrenalina boa e diminuir a vontade de comer doce. 


Foram dias bem difíceis... Todos os alimentos contêm esse componente viciante. As primeiras saídas, as festas de fim de ano, os jantares em família e, principalmente, a vontade de comer algo doce logo após as refeições, hábito que sempre me acompanhou, foram me colocando à prova. Sempre carregava na bolsa alguma comidinha, como frutas secas, nozes e chocolates com açúcar de coco, para aqueles momentos em que todos à minha volta se deliciavam com brigadeiro, pudim de leite, bolos e sorvetes...


Os meses foram passando e a vontade de comer sempre voltava. Mas a minha perseverança, a minha força de vontade, foi maior; o foco na conquista do resultado prometido era mais importante do que as tentações que aconteciam o tempo todo, e não eram poucas.


Depois de um ano de uma luta diária contra a vontade de comer doces, eliminei 14 quilos e ganhei qualidade de vida. Além disso, aprendi que, quando temos perserverança e focamos no objetivo que queremos atingir, todo o universo conspira a nosso favor e conquistamos o que desejamos. A minha luta contra o açúcar continua. Não é fácil, mas tenho sido vitoriosa. 


 
Texto foi baseado na Meditação da Esperança da ONG Solaris.
 
 
 
Karina Debbané

Solariana, formada em francês comercial pela Sorbonne, Paris. Trabalha desde 1991 em Comércio Exterior na importação e distribuição de artigos para mesa posta.  Representante exclusiva para o mercado brasileiro de Porcelana de Limoges e Vidros Italianos da região do Veneto.

 
 
Imprimir