Warning: ob_start() [ref.outcontrol]: output handler 'ob_gzhandler' conflicts with 'zlib output compression' in /home/institutosolaris/www/printDoc.php on line 5
PORTAL SOLARIS
Máxima solariana nº9

Máximas solarianas: o que vêm a ser?

 

Imagino que todos os solarianos tenham conhecimento das Máximas criadas pela nossa mestra Sofia Mountian. São pequenas pérolas que sintetizam complexas situações do cotidiano. Elas ajudam a ter percepção da realidade objetiva, o que constitui um dos ensinamentos constantes da mestra em seus cursos. Ao obter uma clara percepção da realidade objetiva, podemos, além de evitar a subjetividade que tanto atrapalha, escolher participar da realidade de modo mais visível, bem-sucedido e transformador. 


Esta seção da Revista da ONG Solaris se dedicará à interpretação das máximas criadas pela Sofia, por meio da descrição de situações vivenciadas por mim, por outros solarianos ou por pessoas em geral. 

 

Serão descritas e ilustradas 22 das Máximas Solarianas, as que são apresentadas periodicamente durante a Meditação dos Regalos. 

 

Embora cada máxima tenha um número, iniciando-se da Máxima nº 1, a ordem de publicação delas na revista será aleatória.

 

MÁXIMA 09

“A meta pessoal não tem prazo final, pois esse tempo depende de sua realização diária.”


Todas as vezes que leio essa máxima, me sinto um pouco consolada! Já explico! 

 

Tenho uma meta, que é fazer exercício físico seis vezes por semana por pelo menos 45 minutos em cada dia. Mas como é difícil cumprir essa meta! Me propus fazer duas sessões de ioga, duas sessões de hidroginástica e duas sessões de caminhada a cada semana. Agora que as temperaturas aqui estão baixando muito, farei duas sessões de ginástica cárdio, adaptada às pessoas de mais de 55 anos, em lugar das caminhadas externas. 

 

Cada vez mais, percebo a importância do exercício físico para um bom envelhecimento. O que chamo de “bom envelhecimento”? É ir aumentando os anos de vida, mas mantendo a autonomia e a independência. Devo ser capaz de me movimentar para onde quiser, do jeito que quiser, sem ajuda. Devo ser capaz de realizar todas as tarefas diárias, de autocuidado e outras, sem ajuda.  Devo ser capaz de manter o equilíbrio e evitar quedas.

 

Li outro dia que 35% das pessoas de mais de 65 anos têm pelo menos uma queda por ano, principalmente por causa da perda anual de massa muscular. O exercício físico, que fortalece o tônus muscular e estimula o equilíbrio, é essencial para evitar as quedas. Bem que eu gostaria de ficar de fora dessa estatística!

 

Vem dessas considerações a meta de fazer exercícios seis dias por semana. Estou bem consciente! Mas não consigo gerar e manter os comportamentos que me levem à meta! Faço um dia de ioga... fico dois sem fazer nada. Vou a uma aula de hidroginástica... fico mais três dias sem fazer nada. E, nesse ritmo, as semanas vão passando e vejo minha meta longe de ser atingida. Estou melhorando! Tenho conseguido, com bastante determinação (KATH KLIM!!!), fazer de três a quatro atividades físicas por semana, em sessões de 45 minutos. Mas os seis dias da meta... A semana passa voando pela minha frente e não acho o tempo para fazer exercícios nesses outros dois ou três dias... Todas as desculpas aparecem! Me sinto péssima! Mas, então, me lembro desta máxima e, em vez de desanimar completamente, digo para mim mesma que estou em processo e que não tenho um prazo final para atingir minha meta. E assim ganho forças para ir realizando os exercícios o melhor que posso, semana a semana! 

 

 

Célia Maria Vasques Miraldo

É psicóloga formada pela PUC e mestre em Psicologia Experimental pela USP. Trabalhou toda a vida profissional em Educação, durante 13 anos como professora na PUC e, nos últimos 16, no SENAI/SP, na área de Avaliação Educacional. Continuou trabalhando, depois de aposentada, como consultora do SENAI Nacional, nessa mesma área. É sacerdotisa do Instituto Solaris, onde ingressou em 1993, tendo participado da elaboração do curso “Eu sou”, destinado a adolescentes.