Warning: ob_start() [ref.outcontrol]: output handler 'ob_gzhandler' conflicts with 'zlib output compression' in /home/institutosolaris/www/printDoc.php on line 5
PORTAL SOLARIS
Máxima solariana nº4

Máximas solarianas: o que vêm a ser?

 

Imagino que todos os solarianos tenham conhecimento das Máximas criadas pela nossa mestra Sofia Mountian. São pequenas pérolas que sintetizam complexas situações do cotidiano. Elas ajudam a ter percepção da realidade objetiva, o que constitui um dos ensinamentos constantes da mestra em seus cursos. Ao obter uma clara percepção da realidade objetiva, podemos, além de evitar a subjetividade que tanto atrapalha, escolher participar da realidade de modo mais visível, bem-sucedido e transformador. 


Esta seção da Revista da ONG Solaris se dedicará à interpretação das máximas criadas pela Sofia, por meio da descrição de situações vivenciadas por mim, por outros solarianos ou por pessoas em geral. 

 

Serão descritas e ilustradas 22 das Máximas Solarianas, as que são apresentadas periodicamente durante a Meditação dos Regalos. 

 

Embora cada máxima tenha um número, iniciando-se da Máxima nº 1, a ordem de publicação delas na revista será aleatória.

 

 

MÁXIMA 04

“Quando os caminhos estão fechados, use a humildade e verifique a viabilidade de seus planos.”


Uma situação que pode ilustrar a sabedoria contida nesta máxima aconteceu há mais de 45 anos! Eu ainda não sonhava com algo como o Solaris e a evolução espiritual era um assunto que nem passava pela minha cabeça. Ainda assim, o poder da percepção da realidade objetiva é tão grande que ele atua, quer você o conheça ou não!

 

Eu me casei com meu primeiro marido aos 25 anos e ele era meu príncipe encantado! A festa de nosso casamento tinha sido espetacular, assim como era nosso pequeno apartamento no Itaim. Minha primeira casa! Meu primeiro emprego! A vida toda pela frente! Todos os sonhos de juventude começando a se realizar.


Mas nós não estávamos tendo um bom relacionamento. Nosso namoro tinha durado cinco anos e fora muito gostoso, com muito companheirismo, muito romantismo, muita curtição de tudo, sem muita responsabilidade, a não ser a de terminarmos nossas faculdades. É verdade que nós brigávamos muito, mas nos recuperávamos e seguíamos em frente, com alegria e bem querer! No entanto, começada a etapa após o casamento, nós já não conseguíamos nos reconciliar depois de uma briga. E as brigas pareciam mais profundas e importantes. Eis que um dia, antes de completarmos um ano de casados, meu marido me contou que tinha se apaixonado por outra mulher!


Meu mundo despedaçou! Todos os sonhos da menininha, da princesinha do papai, foram jogados no lixo em uma noite. Passamos os próximos quatro anos nos debatendo sobre a viabilidade de continuarmos juntos. Ele não queria se separar mas não conseguia se desligar dela. Dizia que amava as duas e, assim, foi ficando com as duas. O mais bonito da história foi perceber que nosso relacionamento melhorou muito nessa época e nos tornamos grandes amigos. O que somos até hoje!


Mas em certo momento, após quatro anos vivendo essa situação, eu percebi a realidade objetiva – ele não conseguia se desvencilhar dela e, portanto, devia amá-la bastante. Percebi que os caminhos estavam fechados para mim e para os meus planos de “casar e viver feliz para sempre”.


Assim sendo, pedi para nos separarmos legalmente. Isso só aconteceu oito meses depois de eu haver pedido, porque ele não conseguia se desligar de mim também. Mas já estávamos separados de fato e eu havia conhecido outro homem, que viria a ser o meu segundo marido.


Mesmo ainda não conhecendo as máximas solarianas, pude fazer mudanças em minha vida ao dar um salto dentro da realidade objetiva, que se tornou tão clara para mim a ponto de não haver mais dúvidas. O que foi excelente para todos os envolvidos! Fui morar com o homem que eu havia conhecido e, um ano depois, tivemos um filho, um presente maravilhoso! Quanto ao meu primeiro marido, está casado até hoje com a pessoa por quem se apaixonou naquele momento e tem três filhos. Somos amigos e nos curtimos bastante. Os filhos dele cresceram com meu filho e eles se adoram. Dois deles vieram agora para o Canadá passar o réveillon conosco. Afinal, vivi o “feliz para sempre”, só que não segundo os meus planos!


Célia Maria Vasques Miraldo

É psicóloga formada pela PUC e mestre em Psicologia Experimental pela USP. Trabalhou toda a vida profissional em Educação, durante 13 anos como professora na PUC e, nos últimos 16, no SENAI/SP, na área de Avaliação Educacional. Continuou trabalhando, depois de aposentada, como consultora do SENAI Nacional, nessa mesma área. É sacerdotisa do Instituto Solaris, onde ingressou em 1993, tendo participado da elaboração do curso “Eu sou”, destinado a adolescentes.